Autoconsciência: o fundamento da inteligência emocional

Um gerente de uma grande cadeia varejista acredita que ele é o tipo de pessoa que faz as coisas acontecerem. Se perguntado sobre seu estilo de liderança, ele diria que é claro e assertivo em garantir que seus subordinados saibam o que precisa ser feito e quando. Se o seu departamento não atingir as metas de performance, ele dirá que foi porque sua equipe não fez o trabalho apropriadamente, não por conta de sua liderança.

Se um membro da equipe de tal gerente for questionado sobre o estilo de liderança do chefe, irá contar uma história bem diferente. O que o gerente chama de “assertivo”, sua equipe dirá que ele é nervosismo, gritaria e bullying. E os problemas de performance? Eles dirão que todos estão tão cansados do assédio que não se importam mais em atingir metas, ou mesmo que seus comportamentos fiquem no caminho da produtividade.

Evidentemente, esse gerente não tem consciência do impacto que ele tem em sua equipe ou de como suas emoções prejudicam sua liderança. O que ele precisa é de autoconsciência emocional.

O que é autoconsciência emocional?
Com autoconsciência emocional, você compreende suas próprias emoções e seu impacto delas na sua performance. Você sabe o que está sentindo e por quê – e como isso ajuda ou prejudica o que você está tentando fazer. Você sente como os outros veem você, e essa autoimagem reflete essa realidade mais ampla. Você tem um senso preciso de suas forças e limitações, o que garante uma autoconfiança realista. Também proporciona claridade sobre seus valores e senso de propósito, assim você pode ser mais decisivo quando estabelece um plano de ação.

Líderes que têm autoconsciência podem reconhecer quando suas emoções têm um impacto negativo no trabalho ou nas pessoas ao redor. Eles são, então, melhor equipados para lidar com isso de uma maneira efetiva, como: criando oportunidades para feedback, experimentando diferentes formas de motivar a equipe, ou sendo mais aberto a soluções criativas.

Por que autoconsciência emocional é a chave para os líderes?
Korn Ferry, do Hay Group Research, descobriu que, entre líderes com múltiplas forças em autoconsciência emocional, 92% têm equipes com alta energia e alta performance. Em um agudo constraste, líderes com baixa autoconsciência emocional criaram climas negativos em 78% do tempo. Grandes líderes criam um clima emocional positivo que encoraja a motivação e o esforço extra, e eles são aqueles com boa autoconsciência emocional.

Uma pesquisa na Cornell University mostrou que uma alta pontuação em autoconsciência emocional era um forte preditor de sucesso, no geral. Com uma fundação desenvolvida nessa competência, líderes tendem a ter mais força em competências de liderança, como trabalho em equipe.

Por um lado, é fácil focar em competências que parecem que darão resultados mais rápidos, como influência ou gestão de conflitos. Mas, sem autoconsciência emocional, nós podemos apenas tocar a superfície do nosso completo potencial. Essa é a habilidade que requer mais paciência e honestidade, e provê a melhor fundação para futuros desenvolvimentos em inteligência emocional e social, tanto no trabalho como em situações cotidianas.

Como desenvolver autoconsciência emocional
Autoconsciência emocional não é algo que se conquista uma vez. Cada momento é uma oportunidade para ser autoconsciente ou não. É um empreendimento contínuo, uma escolha consciente. A boa notícia é que, quanto mais você pratica, mais fácil se torna. Uma pesquisa conduzida pelo meu colega e maigo Richard Davidson, um neurocientista na Universidade de Wisonsin, sugere que uma maneira de se tornar mais autoconsciente é verificando sua experiência sensorial.

No meu novo vídeo da série Competência crucial: construindo liderança emocional e social, o professor Davidson explica da seguinte maneira: “nós sabemos que autoconsciência emocional pode começar com sensações em seu corpo ou pensamentos. Quando as emoções são ativadas, elas são acompanhadas de mudanças corporais. Pode haver mudanças na respiração, na tensão muscular, no batimento cardíaco. Autoconsciência emocional, em parte, é a consciência que se tem sobre o próprio corpo. Neurocientistas atribuem uma categoria bem específica para isso, e ela é chamada de ‘interoception’, a percepção de sinais internos no corpo. Refere-se à capacidade de sentor os batimentos cardíacos, mudança nos padrões desses batimentos ou alterações no padrão da tensão muscular. Portanto, a primeira e real fundação da autoconsciência emocional é a ‘interoception’. É o conhecimento do que acontece com o corpo”. Perceber os sinais corporais é uma forma prática de desenvolver autoconsciência.

Fonte: Administradores

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram