Emílio Morschel, diretor da RH Nossa, fala sobre vagas para temporários para a Gazeta do Povo

A indústria, comércio e setor de serviços deverão abrir 6,2 mil vagas de emprego temporárias para as festas de fim de ano em todo o Paraná. Os números mostram uma queda de 7% em relação ao ano passado, quando os empresários contrataram 6,7 mil trabalhadores temporários. Os dados são da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem).

Considerando apenas as vagas no comércio e setor de serviços, a expectativa é de 3,3 mil novos postos de trabalho temporários no estado, sendo 1,2 mil somente em Curitiba, segundo estimativas da Fecomércio-PR. Em pesquisa realizada neste mês com empresários dos dois segmentos, a entidade confirmou que 16% pretendem contratar mão de obra extra no fim do ano.

Os empregos temporários são uma boa forma para o trabalhador voltar ao mercado de trabalho, com chances de efetivação após o período de festas. Uma boa notícia para os desempregados, que somam mais de 12 milhões de pessoas em todo o país, segundo os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“No fim de ano existe um aumento natural das vendas. Evidente que tem a crise, mas nem por isso o Natal vai deixar de ser uma venda melhor do que os outros meses. É uma porta aberta para quem precisa voltar para o mercado de trabalho. Normalmente em torno de 20% dos temporários são contratados”, afirma o presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Antonio Miguel Espolador Neto.

Comércio
A função de vendedor é a que mais terá oportunidades disponíveis no comércio do estado, segundo a Fecomércio-PR. “O vendedor é a linha de frente, sempre é o cargo com mais oferta de vagas no período. Mas com mais clientes frequentando as lojas, os comerciantes acabam tendo que contratar outros profissionais também, como para limpeza e caixa”, afirma Rodrigo Rosalem, diretor de Planejamento e Gestão da entidade.

A Assertem aponta ainda que outras funções mais procuradas neste ano no setor serão: atendente, assistente de crédito, embalador, estoquista, etiquetador, caixa, fiscal de loja, promotor de vendas e repositor.

A maior parte das vagas estarão no comércio de rua, shoppings e supermercados. A faixa etária mais procurada deverá variar de 18 a 45 anos e a escolaridade desejável é o ensino médio completo.

Indústria

Já na indústria, os segmentos que ofertarão mais vagas serão: alimentos e bebidas, brinquedos, vestuário e papel. As principais funções serão: auxiliar administrativo, assistente financeiro, auxiliar de produção, auxiliar serviços gerais, estoquista, motorista, operador de empilhadeira e operador de máquinas.

“Nós percebemos um crescimento de 10% na oferta de vagas temporárias no segmento de alimentação e bebidas, principalmente na indústria e logística. Em alguns outros segmentos como eletroeletrônicos e cosméticos não aconteceu o mesmo movimento que houve no ano passado”, afirma Emílio Morschel, diretor da RH Nossa, com sede no Paraná.

A escolaridade exigida na indústria é o ensino médio completo e o diferencial é a qualificação técnica em automação industrial, eletrotécnica, mecatrônica, química, informática, segurança do trabalho, administração, secretariado e/ou cursos para funções específicas.

Fonte: Gazeta do Povo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram