Mercado de trabalho temporário aquece no fim de ano

O Brasil é o segundo maior contratante de trabalho temporário no mundo, responsável pela contratação de uma média de 12,3 milhões de pessoas ao ano, de acordo com dados da Confederação Internacional de Trabalho Temporário e Terceirização – Ciett, entidade que reúne mais de 50 países. Grande parte dessas vagas se concentra em épocas de aumento do consumo e da produção como, por exemplo, a partir de novembro. Segundo especialistas, o Paraná será o 3° estado do Brasil a contratar trabalhadores temporários neste período.

Para o final de 2014 no país, a Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado – Fenaserhtt prevê a contratação de 163,6 mil trabalhadores temporários, o que representa aumento de 1% no número vagas em relação ao ano passado. Ainda segundo a entidade, o comércio, serviços e indústrias são responsáveis pela quase totalidade das contratações, com ênfase para o comércio quando trata-se de contratações para o final de ano. O índice de efetivação deve chegar a 5%.

Responsável pela contratação de mais de 50.000 mil trabalhadores temporários em 21 anos de atuação, a NOSSA Gestão de Pessoas e Serviços avalia que o final e início do ano  têm se caracterizado como boas épocas para oportunidades de emprego temporário.  Conforme o diretor da empresa, Emílio Morschel, recorrer ao trabalho temporário para os empregadores significa atender as necessidades geradas em pico de produção e aquecimento nas vendas. Para as pessoas, esse tipo de contratação abre as portas para o mercado de trabalho, considerando que podem ser efetivadas no emprego, dependendo da necessidade do posto de trabalho efetivo e do desempenho nas funções.

Morschel argumenta que, os empregadores que têm muita urgência em preencher os postos de trabalho não exigem experiência para as vagas temporárias, por outro lado, preferem contratar pessoas dinâmicas, pró-ativas, comprometidas com o trabalho e que atendam com qualidade os clientes.

Cabe lembrar, segundo Morschel, que no período temporário o empregador aproveita para avaliar o desempenho do funcionário e se vale a pena efetivá-lo na empresa. Por isso, ele aconselha que para quem pretende ser efetivado, deve encarar a vaga temporária como se fosse efetiva,  demonstrando comprometimento com a qualidade do trabalho, dedicação em aprender, disciplina para cumprimento de horário e respeito às normas internas.  Seguindo essas orientações, o trabalhador tem mais facilidade de se manter no mercado de trabalho.

 

Para contratar os serviços da NOSSA:www.rhnossa.com.br

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram