Por que é tão difícil assumir nossos próprios erros?

Por que é tão dificil assumir nossos próprios erros? Essa pergunta, além de intrigante, é também muito reveladora. Quando somos criticados ou quando alguém aponta alguma falha nossa, buscamos nos enconder atrás das muralhas da nossa própria mente. Tendemos a erguer o escudo e nos defender dos ataques alheios (mesmo sabendo que somos falhos e que agimos de forma errada). Nossa mente se fecha, ativa mecanismos neuro-defensores como se fosse uma verdadeira “aranha armadeira”, encurralada pelo seu pior inimigo e pronta para dar o bote. 

 

É mais fácil achar culpados do que assumir nossos próprios erros. Assumir nossos erros soa, aos ouvidos alheios, que somos fracassados. Comprar uma caranga velha (saber que errou na compra) e assumir perante nossos pares nosso próprio erro é a mesma coisa que dizer ao mundo que somos péssimos negociadores. Isso fere nosso ego e nos diminui perante uma sociedade que vive debaixo da máscara da mentira.

 

Vivemos em um mundo mascarado de mentiras onde ouvir certas verdades chega a ser um insulto ao nosso próprio orgulho. Somos muito apegados aos elogios e nos esquecemos de que são as críticas que nos fortalecem e nos edificam. É preferível mil vez ouvir uma verdade que dói a uma mentira que mata. 

 

Assumir nossos próprios erros é abdicar da autossuficiência que nos prende. Sentir-se dono da verdade ou mesmo achar que sabe tudo é a pior ignorância que um homem pode ter. Quem nunca errou também nunca descobriu algo. Para um líder, assumir o erro em frente a seu liderados é como dar um “tiro” em sua própria reputação. Errar é humano e assumir o erro perante os outros é uma atitude dos sábios, que têm plena consciência de que quem para de aprender para de crescer.

 

Por que é tão difícil para um pai ou mãe assumir seu erro diante de seus filhos? Por que é tão difícil assumirmos nosso erro perante nossas esposas ou maridos? Por que será que o feedback assusta tantas pessoas?

 

O segredo do grande líder é se fazer pequeno, para que os pequenos subordinados se tornem grandes líderes. Administrar é a arte de influenciar pessoas. Assumir erros é a atitude mais sublime de um grande administrador. Além de rever seus conceitos, o mesmo é capaz de definir novas rotas. Além disso, faz renascer dentro de cada um de seus liderados o sentimento de altruísmo. O bom administrador sabe lidar com números e metas, o excelente administrador sabe, acima de tudo, lidar e influenciar pessoas./

 

Empresas que visam achar culpados ou justificativas para seus próprios erros, tendem a perder sua cartela de clientes. Já as empresas que reconhecem os erros diante de seus próprios clientes tendem a conquistar não somente a confiança mas também o coração dos mesmos.

 

Uma crítica bem fundamentada de um bom cliente é mil vezes melhor para o futuro da empresa do que 10 elogios de clientes acomodados com os serviços prestados. A crítica revela nossas fraquezas, nosso calcanhar de Aquiles. Lembro como se fosse ontem, um arranha céu azul e aquele triste acidente de quadriciclo que mudou minha vida. Fraturei alguns ossos da mão e achei que ficarei impossibilitado de vestir sozinho uma simples camisa.

 

Depois de passar por uma cirurgia, veio o processo de reaprendizagem. Dia a dia durante longas sessões de fisioterapia, fui pouco a pouco ascendendo para a vida e pude refletir com mais clareza que o maior culpado daquele acidente divisor de águas não foram as circunstâncias (terreno, tempo, solo, quadriciclo), mas sim minha própria imprudência. Confesso que foi muito difícil e doloroso assumir meu erro para mim mesmo e principalmente para meus amigos e familiares que muito me apoiaram.

 

A grande alegria disso tudo e que muito serviu como força motivadora para abrir os olhos diante das oportunidades da vida é que pude amadurecer e crescer ainda mais, voltar ainda mais forte daquele tombo do qual achava que jamais me ergueria novamente. Reconhecer nossos próprios erros é olharmos para nós mesmos e vermos que, acima de tudo, somos imperfeitos e principalmente humanos.

 

Um líder fraco e inseguro é aquele que se acha autossuficiente, dono da verdade e perfeito. Já o líder forte e seguro é aquele que tem plena consciência de que também está sujeito a erros e falhas e que, acima de tudo, procura não somente corrigi-las, mas reconhecê-las. 

 

Os fortes transformam seus erros em insumos para suas vitórias e aprendizados. Os fracos vivem sob os escombros dos seus próprios erros!

 

Fonte: Administradores.com.br

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram