Você é um vencedor ou um derrotado?

Há quem acredite que o sucesso profissional está ligado à sorte. No entanto, no dia-a-dia das empresas, o que se comprova é que chegar ao topo na carreira depende de fatores bem mais concretos do que um dia de azar.

 

De acordo com Myriam Durante, presidente do IPOM (Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente), as atitudes que os profissionais tomam diante dos desafios e os hábitos que eles incorporam em sua rotina de trabalho é que acabam conduzindo ao êxito profissional.

 

“O sucesso ou o fracasso não depende de quanta força você coloca em uma tentativa, mas da persistência no que se quer fazer. Ter uma boa bagagem, experiência e conhecimento são importantes, mas não garantem que o profissional se torne um vencedor. O que faz a diferença é a sua postura em relação às dificuldades, sua habilidade em lidar com imprevistos e em se manter focado em seus objetivos”, explica a especialista.

 

De acordo com a psicoterapeuta, quem deseja alcançar o sucesso deve ficar atento ao seu comportamento. E o autoconhecimento é fundamental para que o profissional faça uma avaliação sincera de seus atos e consiga se policiar para tomar as atitudes certas. “Para ter sucesso, o profissional deve desenvolver as atitudes que fazem parte das pessoas vencedoras. Ele precisa pensar e agir como alguém que vencerá a partida. Deixando sua mente poluída por pensamentos pequenos e negativos, já estará derrotado”, afirma Myriam Durante.

 

Abaixo está uma lista feita pela especialista que define vencedor ou perdedor. Veja a posição em que você se encaixa:

 

Vencedor

 

Trabalha muito e sempre arranja tempo para si próprio.

Enfrenta os desafios um a um.

Compromete-se, dá a sua palavra e cumpre.

Tem em mente que é um bom profissional, mas será ainda melhor.

Ouve, compreende e responde.

Respeita os que sabem mais e procura aprender algo com eles.

Sente-se responsável por algo além do seu trabalho.

Acredita sempre que “Deve haver uma forma melhor de se fazer…”

É parte da solução.

Vê o cenário na sua totalidade, e não apenas do ângulo que lhe convém.

Quando comete um erro, diz: “Enganei-me, mas aprendi a lição e não vou repetir o mesmo erro”.

Sabe que o resultado das coisas depende de si.

 

Derrotado

 

Está sempre “muito ocupado” e não tem tempo nem para si.

Contorna os desafios e nem se atreve a enfrentá-los.

Faz promessa, não consegue cumprir, mete os pés no meio do caminho e justifica-se.

Sente que não é um profissional tão mal assim, e que há pessoas piores no mercado.

Não espera que chegue a sua vez de falar.

Resiste a quem sabe mais e procura destacar os seus defeitos.

Não se compromete nunca e diz sempre: “Faço o meu trabalho e é o que basta”.

Tem em mente que “sempre fizemos assim e não há outra maneira.”

É parte do problema.

Acredita que não há nada que possa acrescentar para melhorar.

Quando erra diz: “A culpa não foi minha” e responsabiliza terceiros.

Sente-se vitima perante uma adversidade.

 

 

 

Fonte: Administradores.com.br

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram