Mercado de trabalho em 2022 vai exigir liderança para tempos desafiadores

Se a pandemia tivesse acontecido em 1995, teria sido um caos total. Não tínhamos internet, portanto o trabalho remoto ainda seria uma ficção dos desenhos do Jetsons. Mas por obra do destino e graças a evolução tecnológica, chegamos a um patamar em que a tecnologia foi capaz de nos ajudar a enfrentar tempos difíceis.

Basta voltar o reloginho para março de 2020: começo da pandemia, tempos de incertezas para empresas e empregados. Todos  tivemos que nos adaptar com novos modelos de trabalho e adaptações com a tecnologia.

Então veio 2021: o ano do começo da recuperação e da volta gradativa ao trabalho presencial. Vacinação começou e as vagas de trabalho já estavam adaptadas.

2022 vai começar e  vamos presenciar uma nova batalha: trabalho presencial x trabalho remoto! As empresas vão precisar ter colaboradores que assumam papel de liderança para contratar e demitir colaboradores dentro de suas realidades, como treinar os novos contratados, distribuir tarefas de acordo com as competências de cada colaborador e seguir atento com as mudanças que serão geradas pela pandemia –  que nem precisamos dizer que não acabou.

2022 parece ter um horizonte muito mais interessante, mas as empresas precisarão descobrir lideranças internas para manter a tranquilidade destes dias incertos que se aproximam.

Contar com uma estrutura de Recursos Humanos externa, composta por profissionais treinados e já atentos com as mudanças repentinas geradas pela pandemia, encontrando líderes capazes de manter as equipes integradas com a política da empresa. Os gestores podem ter conhecimento técnico acima da média, mas será que o perfil de liderança está no mesmo patamar? E acredite, 2022 vai ser o ano em que as empresas vão precisar confiar em seus líderes mais do que antes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram
Checking...